Até as emergências podem ser imperceptíveis aos olhos de um dono sem muita prática. Saiba como identificar momentos em que seu animal de estimação precisa de atendimento.

 

Algumas situações emergenciais sugerem que levemos nossos pets imediatamente ao veterinário, como um atropelamento ou queda, por exemplo. Estas são situações bem óbvias. Mas, em outros casos, como ter certeza de que nosso companheiro está precisando ir ao veterinário?

Você é a pessoa mais indicada para afirmar se o comportamento do seu pet está normal ou não, afinal de contas é quem mais o conhece. Lembre-se que qualquer comportamento anormal já é, em si, um sinal de alerta e não é exagero nenhum ligar para o veterinário no meio da noite. Veterinários estão muito acostumados a atender emergências e não há motivo para constrangimentos.

Nem sempre um cão ou um gato irá choramingar, cutucar você com a pata ou o focinho para tentar dizer que não está passando bem

 

Quando um dono reporta ao veterinário que seu gato ou cão tenta defecar, mas não consegue, é possível que o bichinho esteja apenas tentando urinar. Uma provável obstrução no sistema urinário pode ser mortal e isso requer atendimento emergencial.

Se alguém nota que seu cão de dez anos fica mais deitado que em pé nas últimas 24 horas, sem muita fome, há uma possibilidade do pet estar sofrendo com uma hemorragia abdominal (hemorragia interna), imperceptível para muitos donos. Essa hemorragia pode acontecer após a ruptura de uma neoplasia no baço ou fígado, por exemplo. Se um desses animaizinhos começa a tomar água abundantemente, o diabetes é uma infeliz possibilidade.

Uma ocorrência comum em cães de médio e grande porte é a dilatação gástrica, com ou sem torção. Normalmente as clínicas de emergência recebem telefonemas de donos dizendo que o animal tenta vomitar, mas não sai nada. É um problema muito sério, que pode matar um cão em apenas três horas.
O estômago dilata com gás e, dependendo do caso, pode haver uma torção, responsável por dificultar a respiração, obstruir o vômito e a circulação sanguínea. Um choque profundo poderá dar fim à vida do pet. Trata-se de uma super-emergência.

Para evitar, procure não deixar o animal em jejum por muito tempo e, em seguida, permitir que ele coma em grande velocidade e volume. É necessário ter cautela também para que depois de exercícios físicos vigorosos o cão não ingira comida ou mesmo água. Uma aparência dilatada no lado esquerdo da barriga do animal pode ser sinal de torção ou dilatação gástrica. Observe também se o pet está com o coração acelerado, se as mucosas da boca e olhos estão pálidas e se há salivação excessiva.

Fique muito atento a estes sinais de alerta, porque o índice de óbitos em animais que sofrem com a torção ou dilatação gástrica é de 60%. Trata-se de um caso para uma possível intervenção cirúrgica imediata, embora nem sempre o tratamento exija o procedimento.

A dilatação gástrica, com ou sem torção é algo muito sério e pode matar um cão em apenas três horas

 

Nem sempre um cão ou um gato irá choramingar, cutucar você com a pata ou o focinho para tentar dizer que não está passando bem. Animais nem sempre irão fazer algo do gênero. Elaboramos uma lista com alguns sintomas* e situações que sugerem atenção imediata de um profissional veterinário. Leia com atenção e fique preparado:

Procure o veterinário, se:

  • O pet sofreu algum tipo de trauma, atingido por um automóvel, objeto rígido e pesado ou caiu de uma altura considerável.
  • Ele não está respirando ou você não consegue sentir os batimentos cardíacos dele.
  • O animal está inconsciente e não acorda.
  • Seu pet está vomitando (inclusive sangue) ou está com diarreia há mais de 24 horas.
  • Você suspeita que o peludo está com algum osso quebrado.
  • O bichinho está com dificuldade para respirar ou tem alguma coisa bloqueando a garganta dele.
  • Seu pet já teve ou está tendo convulsões.
  • O pet está sangrando pelos olhos, narinas, boca ou há sangue na urina ou fezes.
  • Você suspeita que o animal engoliu alguma coisa tóxica, como detergente, veneno de rato ou alguma medicação não prescrita para ele.
  • Seu animal de estimação fica irritado ao urinar ou não consegue eliminar a urina.
  • Ele demonstra sentir dor extrema, está lamurioso e recusa a socialização.
  • Seu pet não quer saber de ficar em pé.
  • O bichinho começa a tropeçar em tudo ou fica repentinamente desorientado.
  • Você notou alguma irritação ou ferimento nos olhos do pet ou ele parece ter ficado cego.
  • O seu gatinho está respirando de boca aberta.
  • Houver a possibilidade de ter sido picado por animal peçonhento.
  • Observa-se que o abdome do pet está inchado e endurecido ou está engasgado, tentando vomitar.

Há sinais bem estranhos e sutis de que os animais estão precisando de atenção médica. Pode acontecer do seu gato rejeitar totalmente uma nova caixa de areia, perfeitamente limpa, e não urinar. Talvez um alerta de que ele esteja com dificuldades para urinar. Hora de procurar um veterinário.

O bichano também pode estar se coçando, lambendo, perdendo mais pelos que o normal, arranhando a si mesmo. Verifique se há irritações na pele dele e a presença de pulgas ou carrapatos. É possível que o pet esteja infestado de pulgas, o parasita mais comum nesses animais. Mas muito cuidado para não usar medicamentos anti-pulgas próprios para cães no seu gato. Isso pode ser fatal para o felino. Melhor procurar ajuda profissional, antes que o animal contraia alguma dermatite, verminose, anemia ou fique muito estressado com a coceira e irritação na pele.

O ideal é fazer visitas periódicas ao veterinário e diminuir o intervalo entre as consultas conforme a idade do animal aumenta

 

A conduta ideal para os donos de pets é fazer visitas periódicas ao veterinário e diminuir o intervalo entre as consultas conforme a idade do animal aumenta. Assim como são recomendadas medidas de prevenção de doenças para os nossos companheiros, como manter um protocolo correto de vacinação, alimentação e higiene, a preparação para as emergências têm igual relevância. Informe-se sobre primeiros socorros para animais, mantenha informações sobre atendimentos de emergência sempre à mão.

É bom saber, por exemplo, que o Vet Plus – Hospital Veterinário mantém plantão 24 horas para atendimento de cães e gatos de Joinville e região, na R. Anita Garibaldi, 924 – Bairro Anita Garibaldi. Sempre tenha à mão os nossos telefones (47) 3026-5599 e 9613-0633. Não hesite em ligar. O mais importante é seguir seus instintos de dono. Atendimentos emergenciais não precisam de agendamento, atendemos prontamente todas as emergências. Clique aqui e agende uma consulta!

*Não se atenha apenas a esta lista para decidir uma visita de emergência ao veterinário. Qualquer sinal que lhe pareça ameaçador ou debilitante merece atenção especial.

Pin It on Pinterest

Share This
×