Alimentação correta e atividade física regular são benéficos também para os pets

Inúmeras vezes os donos de cães e gatos querem recompensar seus bichinhos por serem engraçadinhos, oferecendo-lhes petiscos, além daquilo que já comem normalmente. Outros tutores pensam que o cachorro ou gato é mais feliz quando gordinho, dando a eles comida muito além da quantidade recomendada e com características inadequadas para a nutrição animal. Outra situação bem comum é aquela em que se alimenta os pets com comida caseira, a mesma consumida por humanos. Se você possui um animal de estimação obeso, provavelmente incorre em algum desses erros ou em todos ao mesmo tempo.

Com exceção de algumas raças, a exemplo do Labrador e Cocker Spaniel, predispostos geneticamente à obesidade, a maioria dos casos ocorre por descuido. Há estimativas de que 30% dos cães e gatos brasileiros, contra 40% dos pets estadunidenses, estejam acima do peso.

Estima-se que 30% dos cães e gatos brasileiros, contra 40% dos pets estadunidenses, sejam obesos

Da mesma forma que acontece em humanos, o metabolismo dos animais também fica mais lento com o passar dos anos. Para manter os pets saudáveis ao longo da vida, a dieta precisa ser acompanhada e modificada a fim de evitarmos a obesidade e os diversos problemas que ela traz consigo.

Assim como qualquer outro problema de saúde que seu pet pareça apresentar, a obesidade suscita a importância da consulta a um veterinário. Nunca administre dietas para os seus animais de estimação por conta própria. Além do mais, a obesidade pode vir acompanhada de outros problemas de saúde que você ainda nem sabe que seu pet possui, como doenças cardiovasculares, dermatológicas, respiratórias, hepáticas e renais. A chance do animal desenvolver diabetes ou artrite por conta da obesidade também é grande.

Alimentação

Um exame veterinário é muito bem-vindo para os cães e gatos ainda nos primeiros meses de vida para uma avaliação que vai determinar as condições de saúde do pet e dar mais assertividade na recomendação do alimento mais adequado: normalmente ração balanceada. A dieta humana nada tem a ver com as necessidades dos animais.

A dieta humana nada tem a ver com as necessidades dos animais, pois têm níveis de gordura e calorias muito elevados

O cardápio humano tende a ser muito mais rico em gordura e calorias, mas muitos tutores desavisados (vários deles também obesos) acabam engordando seus pets em níveis bem perigosos. Além de terem o costume de alimentar seus cães e gatos com sua própria comida, a baixa atividade física do dono reflete na vida do pet, que irá seguir a mesma tendência.

Mesmo os alimentos fabricados especificamente para cães e gatos podem engordar. Um único petisco canino pode oferecer 30% das necessidades calóricas diárias, com variações conforme o tamanho do animal.

Diferenças entre raças

Do ponto de vista nutricional, há diferenças entre as raças, tamanhos e outras peculiaridades de animais, que devem ser respeitadas no quesito alimentação. O peso e o grau de atividade física do animal irão também orientar o seu manejo alimentar. As instruções que constam nas embalagens de ração, que geralmente se apresentam em forma de tabelas contendo dados como o peso e a idade do pet, merecem ser observadas. Uma infinidade de rações, com inúmeras especificidades estão, felizmente, à disposição nas melhores lojas do ramo.

Há raças de cães mais propensas à obesidade, dentre as quais estão o Bulldog, o Labrador, Golden Retriever, Chihuahua, Rottweiler, Dachshund, Pug, Basset Hound, Beagle, Yorkshire e outros.

Meu pet está obeso? Como evitar?

Para saber se o seu animal de estimação está acima do peso, basta verificar apalpando com os dedos no tórax dele. Normalmente é possível sentir as costelas do bichinho sem fazer muita pressão sobre a pele. Confira, olhando de cima, se há uma cintura visível no animal, tanto nos gatos quanto nos cães. Se isso for possível é sinal de que está tudo ok.

Lembre-se da dieta balanceada e atividade física regular. Esta é a receita para evitar a obesidade em animais de estimação, assim como para os humanos. Para os gatos que moram em apartamentos ou nunca saem de casa, prepare caminhos elevados, onde ele possa subir, saltar e se divertir queimando calorias. Tenha uma rotina de atividades para o bichano, usando brinquedos e divertindo-se com ele. Canetas de laser, por exemplo, quando utilizadas com muito critério, são uma ótima alternativa para brincadeiras onde o pet persegue a luz projetada no chão ou nas paredes. Não saia de casa com o seu cão somente para ele fazer xixi e cocô. Programe passeios um pouco mais longos.

Segundo a OSC britânica, The Blue Cross, a maior parte das pessoas que têm maus hábitos alimentares, e que não se exercitam, passam esses hábitos para seus animais domésticos. Então aproveite para entrar na linha você também e perca peso com o seu pet.

 

Pin It on Pinterest

Share This