Os pets, assim como os humanos, são suscetíveis a alergias, gripes e doenças mais graves. Os felinos, em especial, têm tendência a ter uma série de complicações no que diz respeito ao sistema respiratório e renal, por isso, é importante que a cada seis meses – pelo menos – você traga o seu gatinho no veterinário para fazer consulta de check up e exames laboratoriais. São três exames super importantes para diagnosticar possíveis complicações à saúde do seu gatinho. Dá uma olhada em quais são eles:

Hemograma

Tem como objetivo avaliar as células sanguíneas do bichano. É um exame que é requerido pelo veterinário para auxílio no diagnóstico e controle da evolução de alguma doença. Ele é muito importante, pois consiste no único exame que detecta a anemia no animal. E, além disso, é usado como um exame de triagem, pois auxilia na conduta do veterinário que avalia tanto a gravidade, quanto a evolução de alguma doença durante algum tratamento.

Um hemograma é composto por: contagem de hemácias (células vermelhas, responsáveis pelo transporte do oxigênio no organismo), quantidade de hemoglobinas no sangue, contagem de leucócitos (células brancas) e contagem de plaquetas.

Avaliação renal

A doença renal crônica é uma das condições mais frequentes em gatos, principalmente nos bichanos idosos. Um em cada quatro deles desenvolve alguma forma desse problema ao longo da vida. Por isso, é muito importante estar em dia com as condições dos rins do seu pet, para que em caso de fragilidade, os problemas sejam diagnosticados precocemente, para que o tratamento ofereça resultados mais promissores.  

Avaliação hepática

Esse exame é essencial para prevenir doenças sistêmicas que atacam o fígado dos gatos e acarretam em perda de peso, hepatomegalia, vômito, diarreia, icterícia, ascite e anorexia. Também recomendada em suspeita de doença hepática.

Quer saber por que agendar o check up é importante?

Dê uma olhada nas 7 doenças mais comuns em felinos e que merecem atenção constante:

1. Insuficiência renal crônica

Esta é uma das patologias mais comuns em gatos, sobretudo, nos idosos. Os sintomas de que existe algum problema com os rins do seu amigo é perda de apetite, aumento de consumo de água e aumento do volume da urina. Infelizmente, essa é uma doença que aparece de maneira lenta e silenciosa, quando os sintomas aparecem é porque, na maioria das vezes, a doença já está em uma estágio elevado de desenvolvimento.

Não existe cura para a insuficiência renal, porém quando identificada cedo e tratada da maneira correta, os sintomas podem ser amenizados e retardados.

Como prevenir: alimente o seu gatinho desde cedo com uma ração úmida e faça consultas constantes de check up. Leia mais sobre doenças renais em pets clicando aqui.

2. Rinotraqueíte felina (RVF)

Conhecida também como “gripe de gato”, a doença é uma das mais frequentes e pode ser muito perigosa para gatos filhotes, principalmente nos que ainda não foram vacinados. A doença é transmitida pelo Herpesvírus e se propaga pelo contato direto com um gato infectado ou com um objeto usado por ele.

A doença pode causar depressão, perda de apetite, febre e corrimentos nasais. Quanto mais novo o gatinho, piores os sintomas. A doença também pode se agravar com rapidez, por isso, ao menor sinal da doença, o gatinho deve ser trazido imediatamente para consulta.

Como prevenir: por meio da vacinação polivalente Tríplice, Quádrupla ou Quíntupla, e garantindo sempre a limpeza dos ambientes em que o gatinho convive.

3. Síndrome Urológica Felina (SUF)

Esta síndrome é caracterizada pela formação de pequenos cristais compostos de cálcio e magnésio na bexiga, que podem chegar a bloquear a uretra, tornando a doença crítica. Entre os principais sintomas estão lambidas frequentes na zona urinária, aumento de consumo de água, dor e dificuldade para urinar.

Como prevenir: oferecer uma dieta úmida e balanceada com rações super premium, incentivar exercícios físicos e garantir que o seu gatinho esteja sempre bem hidratado.

4. Doença Inflamatória Intestinal (DII)

A DII é bastante comum em gatos mais idosos. Entre os sintomas estão vômitos recorrentes, diarréia com sangue e perda de apetite. O diagnóstico só pode ser feito por meio de biópsia, porém, o tratamento pode ser feito com dietas balanceadas e anti-inflamatórios.

Como prevenir: probióticos e enzimas digestivas podem ajudar a prevenir esse quadro. Lembrando que sempre que você for oferecer algum alimento/complemento ao seu pet, você deve consultar o veterinário.

5. Cardiomiopatia Hipertrófica

Entre as doenças do coração esta é a mais frequente. A doença provoca uma redução do volume da câmara cardíaca e do volume de sangue que o coração bombeia. Acredita-se que ela seja hereditária. Entre os sintomas estão cansaço e dificuldades respiratória.

Como prevenir: se você sabe que o seu gatinho vem de uma linhagem com problemas cardíacos, a dica é não estressá-lo. Manter uma dieta balanceada com nível apropriado de taurina ajuda a evitar a cardiomiopatia dilatada causada por deficiência nutricional. Consulte sempre o veterinário antes de mudar a dieta do seu pet para saber qual é a mais indicada para ele.

6. Intoxicações

A intoxicação é uma das enfermidades mais graves, pois pode levar à morte em pouco tempo. Entre os principais causadores de intoxicação podemos citar plantas (samambaia, copo-de-leite, hera, lírio e violeta são algumas plantas prejudiciais para gatos), venenos para ratos e parasiticidas.

Entre os sintomas de intoxicação estão vômitos, hemorragias, convulsões e dificuldade para respirar. Em caso de intoxicação, é crucial que o animalzinho seja atendido o mais rápido possível. Leia o nosso artigo para mais informações sobre como proceder em uma emergência.

Como prevenir: evitar deixar produtos que podem causar intoxicação em locais que os gatos possam alcançar.

7. Complexo Colangite-colangioepatite

A doença consiste em uma inflamação do ducto biliar e do fígado. Os principais sintomas são anorexia, vômitos, diarréia, desidratação, depressão, dor abdominal e febre. O diagnóstico pode ser feito por meio de exames de sangue, ultra-som e de biópsia hepática. Dependendo da gravidade, o gatinho pode ser tratado com antibióticos e estimuladores de apetite.

O exame laboratorial é uma ferramenta de extrema importância para prevenção, diagnóstico e acompanhamento do tratamento dessas e de outras doenças.

Os exames mais importantes a serem feitos são: hemograma, urinálise, parasitológicos, funções renais e hepáticas, colesterol, triglicérides e glicemia.

Com esses exames é possível detectar antecipadamente algumas alterações na saúde do seu amigo e começar o tratamento o quanto antes.

Qual foi a última vez que o seu gato foi examinado? Clique aqui para agendar uma consulta de rotina.

Leia também Como saber se meu pet requer cuidados veterinários  e Quando o vômito do seu gato pode indicar problemas

 

Pin It on Pinterest

Share This
×