Gastroenterite é uma inflamação no aparelho digestivo e sua origem pode ser variada. Os sinais clínicos mais comuns são o vômito e a diarreia, podendo estar ou não acompanhados de outros sinais diferentes como letargia, inapetência ou desidratação secundária branda ou severa. Em cães, muitas vezes, a diarreia é sanguinolenta.

As causas podem ser virais, parasitárias, bacterianas, resultado de intoxicações em geral, de ordem obstrutiva ou, ainda, alimentares. A enterite hemorrágica é uma das formas mais graves e preocupantes. Pode ser causada por uma endotoxina ou exotoxina destrutiva em determinado local do trato gastrointestinal ou presente de forma mais dispersa. Pode ainda ter início através de uma infecção altamente virulenta. Outra forma frequente de causa é a parasitose intensa, que leva a uma lesão mecânica na mucosa intestinal, resultando em uma inflamação intestinal.

A gastroenterite viral é uma das formas mais comuns de enterite e muito frequente na rotina clínica de um médico veterinário, sendo o parvovírus canino o agente etiológico mais frequente. Acomete principalmente filhotes de até seis meses, tanto os não vacinados, quanto os vacinados inadequadamente, ou que foram expostos a ambientes infectados durante o período de janela imunológica. O infectante ataca células em divisão rápida, nas vilosidades intestinais, causando sua destruição e resultando em diarreia, vômito e sangramento intestinal. Há uma imunossupressão que predispõe o local a uma infecção bacteriana secundária, deixando o caso ainda mais complicado.

A evolução da parvovirose é rápida. O animal começa com inapetência, vômito e segue com intensa diarreia, com ou sem presença de estrias de sangue, que tem um cheiro bastante diferente e característico. A desidratação severa ocorre em consequência dos sinais clínicos anteriores. O animal precisa ser levado urgentemente a um médico veterinário que irá administrar medicamentos para cães, como antibiótico de amplo espectro, antiemético, fluidoterapia e outros que se façam necessários. A cura é possível, mas exige internação 24 horas, cuidados intensivos e depende da resposta do paciente à terapia instituída. Um pet que não é socorrido em tempo, muitas vezes vai à óbito por choque hipovolêmico. Em caso de sucesso do tratamento, uma alimentação adequada, com uma ração medicamentosa ou suplementação vitamínica podem ser necessárias durante um tempo.

A vacinação correta, feita por um profissional, a vermifugação em dia e, de acordo com o que for indicado pelo médico veterinário, o fornecimento de alimento super premium para cães, garantem uma boa nutrição, protegendo e deixando o animal livre da doença.

Causas

As gastroenterites são associadas a vários fatores, mas mais frequentemente com a ingestão de alimentos em mau estado de conservação. A ingestão de substâncias não alimentares, assim como lixo, plásticos, pedras, e pequenos brinquedos, pode danificar a mucosa intestinal. Outras causas de gastroenterite incluem plantas, alguns medicamentos, parasitas, assim como doenças do fígado, rins, tumores, e até mesmo o stress.

Diagnóstico

As causas de gastroenterites são por vezes difíceis de diagnosticar, e em certos casos nunca são determinadas. O diagnóstico é feito com base na história, sinais clínicos e nos achados no exame físico. Como as causas de gastroenterites são tão variadas, exames adicionais são por vezes essenciais, e podem incluir radiografias, análises sanguíneas, etc. Em alguns casos endoscopia e uma cirurgia exploratória também podem ser necessários.

Tratamento

O tratamento de uma gastroenterite “simples” consiste no “descanso” do trato gastrointestinal, para permitir a cura da irritação local.

Se o seu animal está vomitando, deve retirar a comida e a água por aproximadamente 12 horas. Se os vômitos pararam, pode começar a oferecer pequenas quantidades de água. Se a água for bem tolerada, no dia seguinte você pode oferecer pequenas quantidades de alimentos de fácil digestão (frango com arroz cozido, por exemplo). Se a comida for bem tolerada, esta dieta deverá continuar por mais uns dias (várias refeições por dia em pequena quantidade), podendo depois misturar gradualmente a alimentação que estava habituado. O retorno ao esquema habitual de alimentação deverá ser efetuado ao fim de 4-7 dias, uma vez que a mudança abrupta da dieta pode resultar em diarreia. Se os vômitos não se resolverem, contate o médico veterinário.

Dependendo da causa da gastroenterite, poderá ser necessária a administração de medicamentos, prescritos pelo médico veterinário. Se o seu cão tiver outro episódio de vômitos e/ou diarreia, contacte o seu médico veterinário antes de instituir algum tratamento; podendo ser necessário examiná-lo ou fazer exames de adicionais.

 

Pin It on Pinterest

Share This