Você já ouviu falar em giardíase e como ela pode prejudicar a saúde e bem-estar dos nossos pets? Essa doença – que é provocada pelo protozoário Giardia spp – é responsável por causar desconfortos intestinais e se propaga com mais facilidade em dias quentes. Ou seja, neste verão, fique atento aos possíveis sinais de mal-estar que o seu amiguinho peludo pode apresentar, principalmente em casos de levá-lo a viagens para o litoral ou interior.

A giardíase é considerada uma zoonose e, devido a essa classificação, requer cuidados especiais com a higiene e limpeza dos pets. O principal sintoma da contaminação por giárdia é a diarreia e, por isso, é muito importante prestar atenção nas fezes do seu pet e, em caso de dúvidas, buscar imediatamente ajuda especializada. E para que você compreenda um pouco mais sobre essa doença, seus sintomas e como prestar os primeiros cuidados, nós preparamos um artigo para você. Vamos lá?!

Quem é mais vulnerável à giardíase?

A giárdia pode contaminar cães, gatos e até mesmo humanos. Mas, entre os três, são nossos amigos caninos os mais suscetíveis a contraírem esse protozoário. Os cães são animais com hábitos mais acessíveis para o contato com a zoonose, por terem mais predisposição a frequentarem os ambientes nos quais o hospedeiro permanece aguardando a vítima, além de também serem mais propensos a interagir com animais ou alimentos contaminados. Mas, atenção: isso não quer dizer que você não precise tomar cuidado também com o seu bichano!

Como acontece a contaminação?

Como já dissemos, a giardíase é uma zoonose causada por um protozoário, ou seja, pode ser transmitida por ambientes infectados e é prejudicial não só aos nossos pets, como também aos humanos. Depois da contaminação do hospedeiro, a giárdia fica alojada no intestino e é lá que vai se desenvolver.

O ciclo da giárdia – basicamente – segue um padrão: ao ser infectado, o pet começa a eliminar cistos desse protozoário em suas fezes e, estes cistos, por terem uma resistência muito elevada, permanecem por muito tempo no ambiente, contaminando principalmente a água. A partir disso é que acontece a propagação da giardíase, com a ingestão do líquido contaminado, por outros pets, ou do contato direto entre um hospedeiro e um animal saudável.

Quais são os sintomas e como reconhecê-los?

Como a principal manifestação acontece por meio da diarreia, existe uma dificuldade em perceber logo de cara a presença da giardíase. Por isso, é sempre melhor prevenir do que remediar e procurar um diagnóstico qualificado assim que surgirem os primeiros sinais. Porém, para colaborar com a sua compreensão das possibilidades de uma infecção pelo giárdia, indicamos atenção especial aos seguintes sintomas:

  • Fezes pastosas, com muco ou líquidas, com odor forte
  • Vômitos constantes
  • Fraqueza
  • Falta de apetite
  • Desidratação
  • Sensibilidade abdominal

Existem casos no quais os pets podem apresentar fezes com sangue. E também, conforme o avanço da doença, a situação da desidratação causa complicações ao bem-estar e imunidade do animal, dificultando o tratamento. Reforçamos: BUSQUE AJUDA O QUANTO ANTES!

Como acontece o tratamento?

Após a realização de um exame parasitológico de fezes, solicitado e analisado por um médico veterinário qualificado, pode ser iniciado o tratamento adequado contra a giardíase. Para a realização correta desse tratamento é aconselhável colher três amostras de fezes, em dias diferentes, uma vez que os protozoários não são eliminados em todas as evacuações do animal.

O tratamento médico costuma acontecer via antibióticos e vermífugos específicos – que podem ser receitados somente por profissionais. E para garantir a eficácia do tratamento, é necessário realizar a higienização completa do local e utensílios com os quais seu pet teve contato durante a infecção.

Previna-se

Uma forma simples e que costuma ser eficaz na prevenção contra a giardíase é a vacinação. Ela é extremamente aconselhável, pois em casos da infecção em vacinados, os sintomas se apresentam de uma forma mais amena e suscetíveis ao tratamento.

Medidas básicas de higiene também contribuem bastante para a redução dos riscos de contato com a doença. Algumas dicas são:

  • Sempre que chegar em casa, lave as suas mãos e tire os sapatos antes de ter contato com o seu pet. Assim você evitará trazer protozoários para dentro do seu lar
  • Cuide para que o seu pet não lamba as fezes de outros animais na rua
  • Deixe sempre limpo e bem cuidado o ambiente em que se pet fica
  • Ofereça somente água filtrada ou fervida ao seu pet

Essas são medidas que evitam que a giardíase se dissemine facilmente até infectar o seu pet, mas nunca esqueça que nada substitui o acompanhamento veterinário. Realize exames periódicos de check up para estar sempre seguro de que o seu melhor amigo está livre de doenças e problemas que podem comprometer sua saúde.

Conte sempre com o Vet Plus para manter o seu pet bem, feliz e saudável. Agende agora mesmo uma consulta!

Pin It on Pinterest

Share This