Prevenção é a melhor conduta para evitar o sofrimento de cães e gatos na detecção tardia da enfermidade

 

O funcionamento apropriado dos rins é essencial para a saúde dos pets, tal qual acontece entre os humanos. Os rins filtram impurezas e toxinas do sangue, regulam a pressão arterial, ajudam a renovar glóbulos vermelhos, produzem a urina e ainda determinam os níveis de vitamina D e cálcio no organismo. Eis a importância da prevenção das doenças renais crônicas, ou DRCs, que ocorrem devido à perda de néfrons, que são  unidades microscópicas dos rins.

As causas das doenças renais são numerosas e, por isso, um tanto difíceis de determinar. Dentre as mais comuns estão as infecções crônicas bacterianas, virais ou fúngicas. A pressão alta, o estresse e traumas também podem ocasionar as DRCs. Tutores de gatos e cães devem ficar alertas diante das doenças autoimunes, como artrite reumatoide, lúpus, pênfigo, diabetes e outras. Doenças renais podem decorrer da exposição dos animais a toxinas e venenos. Existem, ainda, as doenças periodontais, a predisposição genética e problemas congênitos. Tudo isso pode influenciar e alterar o funcionamento dos rins em cães e gatos, principalmente os animais com idade avançada.

 

Mesmo sendo mais independentes que os cães, gatos não estão livres das doenças renais causadas por desidratação

 

Profissionais veterinários costumam observar, entre as causas das DRCs, muitas ocorrências de alimentação não recomendadas e pouca oferta de água ao animal. A tendência é muito maior entre tutores de gatos, diante do folclore de que os felinos são animais independentes e não chegam a sofrer com isso. A incidência das DRCs em felinos chega a ser três vezes maior do que em cães, especialmente entre os animais idosos. Esses bichanos, assim como os cães, precisam consumir ração de boa qualidade e estar sempre bem hidratados. Os recipientes com água ou bebedouros devem ser inspecionados e limpos diariamente para evitar a proliferação de bactérias.

Doenças renais crônicas aparecem silenciosamente em muitos casos, deixando transparecer os sintomas somente em uma fase já avançada da enfermidade. Entre os sinais de problemas nos rins está a perda de peso, a diminuição do apetite, aumento da sede, diarreia, vômito, queda de pelo e sangue na urina. Os gatos costumam apresentar sintomas mais visíveis somente quando 65% dos rins já estão comprometidos. Uma simples infecção urinária, quando não detectada com antecedência, poderá evoluir para um doença grave. Para dificultar ainda mais esse cenário, os pets costumam sofrer dores em silêncio.

 

Prevenção e tratamento

Alimentação de qualidade significa muito na prevenção das doenças renais. Há rações adequadas para cada faixa de idade, o que pode fazer muita diferença para a saúde do animal. Beber muita água fresca e filtrada, sobretudo no verão ou dias quentes é algo indispensável aos pets. Para prevenir as DRCs os tutores precisam estar muito atentos a qualquer mudança na cor da urina: problemas renais também envolvem urina esbranquiçada, alaranjada ou avermelhada. Uma consulta ao veterinário, tão logo quanto possível, é prioridade.

Observar sempre se o animal está urinando normalmente é uma ótima medida para diminuir o risco de complicações. É recomendado conferir periodicamente se as gengivas estão na cor normal (vermelha) e não pálida. Deve-se verificar se existem úlceras na boca do animal e se ele tem alguma dificuldade para respirar. Caso o pet esteja com os ossos enfraquecidos e seja muito sensível a fraturas, ele pode estar doente dos rins.

Como o próprio nome já diz, doenças renais crônicas são incuráveis. Uma vez detectadas elas podem ter origem bacteriana, quando o tratamento segue à base de antibióticos. Entretanto, cada caso costuma demandar uma conduta personalizada. Se o problema forem cálculos renais, tudo ainda vai depender do local onde eles se alojaram. O importante é monitorar a saúde do pet e proporcionar a máxima qualidade de vida a ele.

 

O tratamento da doença renal crônica alivia o esforço dos rins, mas os resultados podem demorar a aparecer

 

Os tratamentos são realizados com o objetivo de aliviar o trabalho dos rins e os resultados iniciais podem demorar semanas ou até meses a aparecer. As rações especiais para pets com problemas renais, disponíveis no mercado, são altamente recomendadas. Esse tipo de alimento possui baixos níveis de proteína, mas o pequeno montante presente no alimento precisa ser de alta qualidade para que os rins não sejam sobrecarregados quando eliminam as impurezas. É importante que o tutor substitua a alimentação de forma gradual para diminuir o impacto no trato digestivo do animal.

Enfim, para proteger o seu pet das DRCs, fique atento e monitore os hábitos do bichinho. Se ele já for portador de uma dessas doenças, procure não estressá-lo. Ao contrário, ofereça-lhe uma vida saudável e feliz. Procure-nos para uma consulta preventiva e volte para um check-up pelo menos uma vez por ano.

Pin It on Pinterest

Share This