A sarna demodécica é uma doença que causa desconforto e problemas na saúde nos nossos amiguinhos de quatro patas, afetando sua pele e causando lesões que podem dar origem a feridas mais severas. Ela também pode ser conhecida como lepra canina, sarna negra ou demodiciose e consiste em uma dermatopatia parasitária inflamatória, que é causada pelo ácaro Demodex canis.

Este ácaro faz parte da microbiota da pele canina saudável, presente em pequena quantidade, dentro dos folículos pilosos (raíz dos pelos). Para ser considerada uma doença, precisa haver uma proliferação desordenada do ácaro que, em geral, é influenciada por fatores genéticos e imunológicos. Em condições normais, o sistema imune dos nossos pets se encarrega de controlar a população do Demodex canis, impedindo assim que a doença se manifeste na maioria dos animais. Esse é um dos motivos que explica porque alguns pets desenvolvem a doença e outros não.

Tipos de sarna demodécica

A sarna demodécica pode acontecer na vida dos nossos pets de duas formas diferentes. A primeira delas é a forma juvenil, que ocorre em filhotes que tenham predisposição genética para manifestar a doença, adquirida de forma hereditária a partir dos próprios pais. A outra forma acontece na vida adulta, normalmente em animais com idade avançada e acometidos por doenças imunossupressoras.

Além disso, a lepra canina pode ser classificada como localizada ou generalizada. Olha só:

Localizada

Normalmente acontece em cães com menos de 1 ano de idade. Manifesta-se a partir de pequenas lesões em áreas distintas no pet, com aparência similar a de uma micose. O principal sinal é a perda de pelos ao redor das pálpebras, lábios e cantos da boca e, ocasionalmente, no tronco, pernas e patas.

Generalizada

Este é considerado um estágio avançado da doença, em que os cães acometidos perdem os pelos praticamente do corpo todo. Ocorre uma inflamação nas raízes dos pelos, com infiltração de bactérias na pele que causam infecção e consequente formação de crostas e feridas que causam dor e coceira. Alguns casos são uma evolução da sarna localizada e outros se desenvolvem espontaneamente em animais mais velhos.

Fatores que favorecem a sua manifestação

A transmissão é hereditária, porém, alguns fatores exercem influencia direta para que a sarna demodécida se manifeste nos pets. Por exemplo, animais que vivenciaram doenças como câncer, passaram por gestações, separações duras ou mesmo estiveram em período de cio, tem mais suscetibilidade à desenvolver a doença.

Ah, também é importante lembrar que algumas raças de cães tem uma predisposição maior à demodiciose:

  • Pastor Alemão
  • Pinscher
  • Daschund
  • Pitbull
  • Buldog Inglês e Francês
  • Doberman
  • Yorkshire
  • Dálmata
  • Pug
  • Boxer

Infelizmente ainda não é possível apontar uma forma precisa de prevenção da doença. Por essa razão, é importante que os tutores e tutoras fiquem atentos a quaisquer alterações de pele nos seus peludos, para assim buscarem tratamento adequado e evitar que o quadro evolua.

Diagnóstico e tratamento

Como os sinais da sarna demodécica podem ser facilmente confundidos com outras doenças de pele, é essencial que o diagnóstico seja realizado por um médico veterinário qualificado. O processo inclui a observação direta das lesões e também exames laboratoriais feitos a partir da própria pele e que detectam a presença dos ácaros através de análise microscópica.
Constatada a demodiciose, o tratamento é prescrito de forma individualizada, avaliando a condição de cada pet em relação ao estágio da doença e a presença de infecções associadas, por exemplo. De modo geral, atualmente o tratamento é realizado através do uso de parasiticidas orais, mas pode também incluir o uso de loções e shampoos, antibióticos e até vitaminas para reforçar o sistema imunológico dos peludos.

Close up portrait of smiling Asian woman hugging dog sitting on bed in warm sunlight, copy space

CURIOSIDADE: sarna demodécica é contagiosa para humanos?

A sarna demodécica dos cães não é contagiosa para os humanos, ao contrário da sarna sarcóptica que também é conhecida como escabiose, onde o ácaro Sarcoptes Scabiei infesta as camadas mais superficiais da pele e provoca extrema coceira, formação de crostas e erupções avermelhadas, queda generalizada de pelos e muitas vezes vem acompanhada de graves infecções. No entanto, apesar de ser altamente contagiosa não somente para os humanos, mas também para outros animais, a sarna sarcóptica não é tão comum como a demodécica. Na dúvida, consulte sempre um médico veterinário!

Inclusive, que tal fazer isso agora mesmo e agir pela segurança e bem-estar do seu peludo?
Agende uma consulta aqui no Vet Plus e vamos trabalhar juntos em benefício do seu pet!

 

Pin It on Pinterest

Share This
×