Expelir bolas de pelos é algo muito comum entre esses felinos, mas fique atento a sinais que podem indicar uma doença grave

Quando os bichanos sofrem com algum problema gastrointestinal, eles podem apresentar sinais como vômito, diarreia, constipação, náusea, anorexia e perda de peso. Mas como saber se o vômito está ocorrendo somente em virtude da ingestão de pelos, por exemplo, algo muito comum entre esses felinos, ou se existe um problema de saúde mais sério?

O vômito pode ser causado por doenças estomacais ou do trato intestinal, mas também tem origem em outros órgãos doentes que podem intoxicar o sangue. A lista de causas não gástricas do vômito é extensa e vai da pancreatite a problemas renais, do hipertireoidismo à doença de Addison.

 

Entender a diferença entre regurgitação e vômito é importante no monitoramento da saúde do seu gato!

Para identificar a origem do problema é muito bom conhecer a definição clínica de vômito. Vigorosa expulsão do conteúdo do estômago através da boca, o vômito envolve uma forte contração dos músculos do estômago e não pode ser confundido com regurgitação – reação que pode ocorrer logo após ou até várias horas depois da ingestão de sólidos ou líquidos. Na regurgitação a comida que é expelida vem da boca ou do esôfago. Diferentemente, o vômito vem do estômago.

VP_vomito-de-gatos_banner_1024x278px

Quando chamar o veterinário

Se você notar que o seu gato vomitou, mas permanece disposto e alerta, é bem provável que ele esteja bem. Por vezes, gatos vomitam depois de comer grama e isso é normal. Mas se o pet vomita mais de uma vez, aparentando indisposição, é muito importante que você leve ele imediatamente para a assistência de um médico veterinário. Inclusive, para tornar o atendimento ainda mais ágil, é recomendável levar o vômito do bichano em um recipiente para que o veterinário possa analisá-lo. Também é importante tentar lembrar quando o gatinho começou a vomitar e quantas vezes isso aconteceu, para informar durante o atendimento. 

Há sinais que indicam algo mais sério, quando ir ao veterinário torna-se algo imprescindível. Atente para os seguintes sinais:

  • o vômito apresenta sangue
  • o pet aparenta querer vomitar mas não consegue
  • o gato aparenta estar inchado, inclusive no abdome
  • você suspeita que ele engoliu algo tóxico ou venenoso
  • o bichinho apresenta febre ou está deprimido
  • as gengivas dele estão pálidas ou amareladas
  • o seu gato ou filhote não recebeu as vacinas recomendadas
  • o pet aparenta sentir dor
  • diarreia ocorre concomitantemente

Saber com precisão a causa dos vômitos é muito importante para determinar o tratamento do problema. As informações que você fornecer ao seu veterinário serão avaliadas juntamente com o resultado dos exames físicos, laboratoriais e outros testes. Em alguns casos o veterinário indicará um exame de fezes, no intuito de detectar a presença de parasitas como a Giárdia. Se o gato aparenta estar enfermo, recomenda-se um exame de sangue e até outros tipos de análise, como radiografias, ultrassom e endoscopia.

Descobrir precisamente a causa dos vômitos é o que determina o tratamento adequado a ser ministrado! 

Entre as doenças por trás de um simples vômito, podem estar a ancilostomose (que deverá causar anemia de evolução lenta), vermes, diabetes, coronavírus, câncer, pancreatite, hipertireoidismo, gastrite e outras. Mas o vômito também pode ser causado por intolerância ou sensibilidade a alimentos como glúten, leite ou até medicamentos.

Casos menos sérios de vômitos ocorrem por causa da ingestão muito rápida dos alimentos, ou grande quantidade. As bolas de pelo que o gato engole ao lamber-se são comumente expelidas e há reações do corpo do animal a um grande número de condições menos importantes que causam vômito. Se o gato não apresenta outros sinais de doenças, como já foi citado aqui, observe atentamente o comportamento do pet por pelo menos doze horas, depois de retirar toda a comida e água do alcance dele. Isso é necessário para que o trato intestinal do animal possa se estabilizar. O quadro de vômitos será agravado caso o gato venha a ingerir mais comida e água. Porém, neste curto período de desequilíbrio, o animal poderá beber em quantidades pequenas.

Uma vez que você se certifique de que o animal não está gravemente doente, observando de perto, não há motivos para preocupação com uma eventual desidratação. Se a diarreia desaparecer em 24 horas, é possível alimentar o gato com pequenas quantidades de comidas leves, sem sal ou tempero, como a carne cozida de frango misturada com arroz.

Quer saber mais? Acesse o infográfico que preparamos e descubra quais são os sinais que podem indicar que o seu bichano precisa urgentemente de atenção especializada. É gratuito e está disponível aqui.

 

E lembre-se: para um diagnóstico e tratamento precisos e de acordo com as necessidades do seu peludo, é imprescindível a realização uma consulta veterinária presencial. Só assim os profissionais poderão apurar e dar os direcionamentos necessários para o bem-estar do bichano. 

 

Por isso, em casos de dúvida e emergências, agende imediatamente um atendimento para o pet aqui no Vet Plus. Os agendamentos podem ser realizados pelo telefone (47) 3026-5599, WhatsApp (47) 98861-1125, ou pelo site bit.ly/PreAgendamentoDeConsultas.

Pin It on Pinterest

Share This
×