Brinquedos, fios de lã, pedaços de móveis roídos, ossos e até mesmo panos: nossos amiguinhos de quatro patas estão propensos a encontrarem distrações com vários tipos de objetos. E enquanto as brincadeiras dos peludos se limitarem apenas à diversão, está tudo bem. No entanto, quando os pets engolem algum desses “brinquedos”, existe o risco deles sofrerem com o que chamamos de corpo estranho e é aí que mora o perigo. 

A obstrução por corpo estranho é uma ocorrência bastante presente em casos de clínica veterinária, principalmente com pacientes filhotes – que têm mais predisposição a conhecerem o mundo por meio de suas bocas. Ela acontece quando o animal engole um objeto e ele estaciona em seu esôfago, estômago ou intestino, interrompendo o fluxo do sistema intestinal e causando muito desconforto para o pet.  

Quando os objetos são pequenos, o próprio aparelho digestivo consegue dar conta de eliminá-los. O problema acontece quando são itens muito grandes e/ou pontiagudos, que ficam presos no organismo do peludo e podem até causar cortes e perfurações em seus órgãos. Em casos graves, a ingestão de um corpo estranho pode – inclusive – se tornar um caso cirúrgico urgente, antes que as complicações causem a morte do animal. 

 

Como o corpo estranho afeta o organismo dos pets?

Geralmente os corpos estranhos são eliminados em até 36 horas a partir de sua ingestão. Porém, quando eles ficam presos no aparelho digestivo dos animais (que vai desde a boca até o reto), os objetos tendem a parar em três regiões que são mais suscetíveis à obstrução: esôfago, estômago e intestino delgado. 

Entenda o que acontece em cada um desses órgãos: 

Esôfago

Nesse caso, o corpo estranho fica preso principalmente na região próxima ao coração, ou na área do esfíncter anterior ao estômago. O principal sinal de que há uma obstrução no esôfago são que o animal regurgita os alimentos intactos e acompanhados de salivação intensa, inclusive os líquidos. E se não houver um tratamento adequado para solucionar esse problema, o pet pode apresentar desidratação e desnutrição. 

Em quadros mais graves, nos quais o peludo engole um objetivo pontiagudo, o corpo estranho pode romper o esôfago e penetrar na pleura, causando pleurite, e o animal começará a ter dificuldades para respirar também. 

O diagnóstico é realizado a partir da consulta com um profissional especializado, por meio de uma radiografia torácica ou endoscopia – em que o endoscópio é introduzido no canal do esôfago para a remoção do objeto. O tratamento também pode incluir procedimentos como a fluidoterapia (administração de soro nos pets) e o tratamento via antibióticos.  

 

vp_banner-consultas-presenciais-mascotes

Estômago

Os corpos estranhos no estômago podem provocar obstrução leve ou grave dependendo de seu formato ou sua composição. Quando esses corpos estranhos se alojam na saída do estômago, válvula chamada piloro, a situação torna-se mais complicada, pois ele causa o impedimento do fluxo normal dos alimentos bem como distensão do órgão com formação de gás e acúmulo de líquido.

Os principais sinais são:

  • Vômitos constantes
  • Anorexia
  • Distensão abdominal
  • Salivação excessiva 
  • Emagrecimento
  • Desidratação

O diagnóstico também é realizado a partir de uma radiografia, ou de um ultrassom abdominal, e a remoção pode ser feita a partir da endoscopia. 

Leia também Endoscopia em pets: tudo o que você precisa saber

Intestinos

Os corpos estranhos nos intestinos são muito mais frequentes que no esôfago ou estômago. Seus sinais clínicos vão variar de acordo com a localização do corpo estranho bem como o tipo de lesão que causou. Inicialmente o pet pode ter somente depressão e anorexia. E geralmente todos os animais obstruídos passam a vomitar bastante (substâncias sanguinolentas, ou até mesmo fecalóides (semelhante às fezes), assim como ficar desidratados. 

O diagnóstico desse quadro é realizado, inicialmente, a partir do exame radiológico ou ultrassom abdominal e, caso nada seja descoberto, é feito um raio x contrastado. O tratamento é feito a partir de uma enterotomia (que é um corte cirúrgico no intestino do pet) para a remoção do corpo estranho. 

young tabby cat sniffling at pussy willow

Cuidados necessários

Como precaução para que seu amiguinho peludo não ingira nenhum corpo estranho, o primeiro passo é não deixar objetos inapropriados para ele ao alcance do animal. Sempre dê preferência para brinquedos que são pensados especialmente para a diversão dos pets e que não tenham partes pequenas que podem se soltar. 

E não se esqueça: a recomendação geral ao constatar que o animal ingeriu um corpo estranho é SEMPRE buscar atendimento veterinário especializado, independentemente de qual objeto foi engolido. Só assim você saberá quais exames devem ser feitos para determinar a situação e a localização do corpo estranho no aparelho digestivo. Depois de chegado a um diagnóstico, será definido qual a melhor estratégia para retirar o item e evitar mais sofrimento. 

De acordo com a médica veterinária Dra. Anna Carolina Rodrigues Santos, que estuda a especialização em Gastroenterologia Animal e atua aqui no Vet Plus: 

“Quanto antes o animal for diagnosticado, maiores são as chances de conseguir a remoção por endoscopia, impedindo que o corpo estranho vá para o intestino. O diagnóstico precoce contribui para evitar uma intervenção cirúrgica mais invasiva e permite que o pet possa voltar para casa curado no mesmo dia, sem necessidade de internação.”

Por isso, lembre-se: no Vet Plus trabalhamos com profissionais capacitados e especializados para lidar com esse tipo de situação. Juntos podemos garantir as melhores condições para os cuidados e atenção à saúde do seu amiguinho de quatro patas! 

Pin It on Pinterest

Share This
×