Você pode nunca ter ouvido falar sobre o osteossarcoma canino, mas ele é um problema que pode estar muito presente no dia a dia dos nossos animais. Esta condição consiste em um tipo de câncer que afeta os ossos dos pets, causando desconfortos e problemas em diversos órgãos e regiões do corpo , de uma forma bastante dolorosa e agressiva. 

A atenção dos tutores aos sinais desta doença é fundamental para buscar tratamento rápido. Quanto antes acontecer o diagnóstico, mais conforto e garantia de qualidade de vida o pet tem, ao receber os cuidados especializados e necessários.  

Osteossarcoma canino

O osteossarcoma é uma patologia (doença) também conhecida como neoplasia óssea que, por mais que possa acontecer nos gatos, é muito mais comum na vida dos cães. O osteossarcoma caracteriza-se como um tumor maligno nos ossos dos pets, que tende a se desenvolver principalmente nos ossos mais longos – sendo chamado também de osteossarcoma apendicular. 

Apesar dos avanços da medicina veterinária, atualmente esta complicação ainda não tem cura. No entanto, o diagnóstico precoce e tratamento especializado é capaz de amenizar seus impactos e garantir mais qualidade de vida ao pet. Inclusive, em manifestações mais agressivas da doença, a amputação do membro infectado, seguida de quimioterapia, favorece muito no bem-estar do animal.

É importante destacar a necessidade do diagnóstico precoce, uma vez que esse tumor é conhecido por sua grande frequência de metástases (multiplicação das células cancerígenas), podendo se propagar por todo o corpo do animal – principalmente no pulmão. 

Quais pets estão mais vulneráveis ao osteossarcoma? 

Todos os pets, de todas as idades, podem sofrer com osteossarcoma. Porém, um grupo que está mais vulnerável aos riscos de desenvolver a doença são cachorros machos e adultos, com mais de 25 kg

Principais sintomas

Como os primeiros lugares atingidos pelo osteossarcoma canino são as patas dos animais, primeiras regiões a expressarem sinais do problema. Os sintomas comuns são:

  • Dores fortes e inchaço nas áreas afetadas
  • Falta de circulação arterial nos membros inferiores 

Em outras palavras, os cães passam a mancar e apresentar uma série de fraturas caracterizadas como espontâneas, devido à fragilidade dos membros prejudicados pelo osteossarcoma. 

Sintomas secundários, que começam a surgir a partir dos quadros de dores intensas nos pets, são: 

  • Perda de apetite
  • Perda de peso
  • Alto nível de irritabilidade 
  • Choro em excesso
  • Apatia 

Independentemente de acreditar que o seu pet possa estar sofrendo com uma fratura pontual, a validação especializada é fundamental para compreender se é uma complicação corriqueira da vida do animal ou se é um sinal de que ele está sofrendo com o osteossarcoma. 

Nunca espere pelo pior. Procure ajuda sempre nos primeiros momentos para oferecer as melhores opções de cuidados ao seu peludo.

Banner de consultar presenciais

Diagnóstico

O diagnóstico do osteossarcoma canino só é possível após a realização de uma série de exames (para reconhecer o problema e qual é a sua origem) como:

  • Consulta oncológica
  • Radiografia 
  • Ultrassonografia veterinária

Após esses procedimentos, o profissional especializado irá realizar biópsias para compreender a totalidade do quadro de cada paciente. 

É possível diagnosticar apenas olhando?

Não. O exame físico apresenta vários sinais e contribui para o entendimento total da situação do pet, mas os exames laboratoriais são fundamentais para que o diagnóstico seja preciso e aponte para o melhor tratamento possível. 

Tratamento

Normalmente, o tratamento acontece a partir da intervenção cirúrgica. Seguindo o passo a passo

Portrait of "Oli," a happy three-legged Boxer mix at a dog park.  Portrait of "Danny," a black Schipperke-mix lying down at a dog park with a tennis ball.  By using this photo, you are supporting the Amanda Foundation, a nonprofit organization that is dedicated to helping homeless animals find permanent loving homes.

Cirurgia 

É feita a amputação do membro atingido. Acontece em sintonia com outros tratamentos, que favorecem o bem-estar e chances de melhora para o animal, como é o caso da quimioterapia e radioterapia, que explicaremos abaixo: 

Quimioterapia 

É um formato de tratamento que aumenta de forma expressiva a possibilidade de sobrevida durante o enfrentamento do osteossarcoma canino. Ao ser realizada de forma periódica e com acompanhamento especializado, a quimioterapia chega a dobrar a expectativa de vida dos animais após a intervenção cirúrgica. 

Basicamente, a quimioterapia tem como objetivo eliminar as células cancerígenas do organismo dos animais, para evitar sua reprodução e agravamento da doença. 

Radioterapia

Por mais que não possa combater as metástases das células tumorais, este tipo de tratamento contribui para aliviar sintomas e controlar a dor dos pets. Na maioria das vezes, é indicado para casos em que a cirurgia não é aconselhável e costuma acontecer aliado à aplicação de medicamentos analgésicos. 

E aqui vale entender que: por se tratar de uma doença muito agressiva, cabe ao médico veterinário responsável avaliar se a cirurgia apresenta mais chances de bem-estar do que de possíveis complicações devido à fragilidade do pet, diante da exposição à doença. Por exemplo, em quadros mais graves, uma intervenção cirúrgica pode contribuir para o aparecimento de ainda mais fraturas e complicações na vida do animal

Vamos cuidar do bem-estar do seu pet?

O osteossarcoma canino realmente é uma doença que assusta muito os tutores e causa muito mal aos animais. Mas com a atenção necessária e cuidados especializados, podemos trabalhar juntos para garantir o melhor prognóstico de tratamento ao seu amiguinho de quatro patas. 

Realize acompanhamentos periódicos aqui no Vet Plus e conte com a gente para tornar sua vida ao lado do seu pet mais longa e prazerosa para vocês dois. 

Para  agendar um atendimento, você pode entrar em contato pelo telefone (47) 3026-5599, WhatsApp (47) 9 9158-5501 ou pré-agendar aqui.

Pin It on Pinterest

Share This